Já alguma vez te passou pela cabeça “Chiça, vou mas é largar o meu emprego da treta e vou viver para o campo, e vou levar os meus amigos e amigas todos comigo!” Agora podes! Mais ou menos! Mas é definitivamente melhor do que o que se está a passar lá fora!
Animal Crossing: New Horizons tem dominado a cultura pop (e a nossa vida) durante os últimos meses, e o Gui e a Sara juntam-se às suas duas (e únicas) ouvintes, a Daniela e a Inês, para descobrir porquê!
Começando no Japão Feudal do Século XVIII durante o Período Edo, passando pelo colapso da Bolsa de Tokyo nos anos 90, chegam ao lançamento de um inocente jogo da Nintendo que viria a tornar-se num fenómeno; falam da bolsa dos nabos, da importância de ter villagers de elevado ranking, e até acabam a comparar Animal Crossing com Stardew Valley! (gasp! twist ending!)

Connosco no programa estiveram:

Daniela Arsénio – cosmicdane

Inês Arsénio – exoines

Que têm o canal de Instagram dedicado ao Animal Crossing Electric Twix AC, que também podem encontrar no Twitch como Electric Twix

Fontes, referências e outras coisas para lerem:

A Década Perdida do Japão

Profª. Naomi Watts explica o conceito de Furusato

Animal Crossing: New Horizons Has a Thriving Black Market

Think Animal Crossing is just a cutesy ‘capitalist dystopia’? Think again

Animal Crossing’s Embrace of Cute, Capitalist Perfection Is Not What We Need

Animal Crossing Isn’t Escapist; It’s Political

A Marxist plays Animal Crossing: Why we must eat the turnips