Já reparaste que a maior parte das personagens homossexuais ou queer caem frequentemente nos mesmos estereótipos?
Durante décadas pessoas da comunidade LGTBQ+ raramente apareciam na televisão ou no cinema, e quando apareciam eram caricaturas estereotipadas de si mesmas. A Sara e o Gui, com a ajuda dos seus amigos Bruno e David, vão tentar chegar às raízes dessa situação infeliz. Voltando atrás na história, começando nos loucos anos 20 de Hollywood e a subsequente criação do Código Hays, as maneiras como esse código influenciou a representação de personagens queer no cinema e TV, os principais passos em frente, os ícones da representação, quer genuínos quer apropriados pela comunidade, os principais obstáculos e as esperanças para o futuro, este é um episódio de orgulho.

Com o Bruno Portela.

Com o David Lopes.

Mais recursos para te educares mais sobre questões LGBTQ+

ILGA Portugal

Para ouvir:
– podcasts
Nancy – (sobre experiências pessoais queer)
A Gay and A Non-Gay –  (estabelecer pontes)
Making Gay History –  (lições da história gay)

Para ver:
– Não-Ficcção
The Queen (1968) –  sobre competições de Drag Queens nos anos 60 – https://www.netflix.com/title/81220949
Paris is Burning (1990) – sobre o fenónemo dos Ball Rooms, na Nova Iorque dos anos 80
https://www.netflix.com/Title/60036691
Disclosure (2020) – sobre representação trans em Hollywood
https://www.netflix.com/watch/81284247
The Death and Life of Marsha P Johnson (2017) – sobre a pessoa que liderou os motins de Stonewall
https://www.netflix.com/title/80189623
A Secret Love (2020) – duas mulheres apaixonam-se em 1974 https://www.netflix.com/title/80209024

Ficcção
Pose (2018) – história ficcionalizada dos Ball Rooms em Nova Iorque
https://www.netflix.com/title/80241986